Curiosidades

Cerveja pode passar a ser matéria prima das baterias

Os investigadores da Universidade do Colorado descobriram uma forma de produzir elétrdos a partir da água que trabalhou na fermentação da cerveja, o que pode atirar para o desuso o lítio, e resolver tantos problemas relacionados com a extinção desta matéria prima no planeta.

Esta novidade poderá ainda resolver as questões relacionadas com os desperdícios da fermentação que teriam de ser lançados para a natureza, assim como tornará muito mais económico o processo de fabrico das baterias.

Ao longo da investigação foi descoberto que o ânodo, até aqui fabricado em grafite, pode ser substituido por um material orgânico criado a partir do fungo “neurospora crassa”, que cresce de forma abundante na água residual da fermentação da cerveja. Este é o grande momento que a ciência aguardava, um avanço sem precedentes na tecnologia de baterias.

O processo foi já patenteado, tendo este grupo de investigadores fundado já a Emergy, a empresa que comercializará junto dos parceiros industriais este processo que chegará aos nossos equipamentos dentro de alguns anos, já que a viabilidade não carece de grandes estimativas ou avaliações.

Atualmente os fabricantes de baterias, destinadas a equipamentos tecnológicos variados como gadgets, smartphones, e computadores, assim como até mesmo para os automóveis que estão em crescendo de eletrificação, investigam formas de recarregamento mais rápido e menos dependente do lítio resultante de onerosos e exaustivos processos de mineração. Para eles chegou a solução, será que as empresas que investem abrirão mão em favor deste revolucionário processo? O tempo o dirá.

Fim à vista para a nossa ansiedade elétrica!

 

Fonte: Utility Dive

Imagem: Reprodução

Staline Satola

Trabalho com gestão de conteúdo desde 2012! Atualmente procurando aprender mas acerca de CMS (WP).

Related Articles

Close
Ir para a barra de ferramentas