Famosos

Pinturas de René Tavares

René Tavares, consagrado artista plástico são-tomense, tem sido o principal responsável pela parceria cultural entre a Fundação Gleba Cultura de São Tomé e Príncipe e a Fundação Sindika Dokolo de Angola, duas prestigiadas instituições que vão conceber e produzir importantes projectosno domínio da cultura.

René Tavares falou da oportunidade da parceria entre as duas instituições culturais, nos seguintes termos: “Para além de criarmos emprego, tanto para os angolanos como para os artistas de São Tomé e Príncipe, pretendemos salvaguardar e divulgar o património artístico e cultural, construir um espaço de debate sobre a actualidade artística contemporânea, divulgar e promover as artes e artistas de ambos os países e do mundo e, entre outros objectivos, criar residências artísticas e plataformas criativas em rede, integradas em projectos artísticos europeus e mundiais”.

A Fundação Gleba Cultura,instituição que concebe e produz projectos culturais, foi apresentada no âmbito de um ciclo de conferências e cinema, que decorreu de 23 a  25 Julho de 2015, no Hotel Pestana, em São Tomé e Príncipe, realizado pela Fundação Sindika Dokolo. A Fundação Gleba Cultura e a Fundação Sindika Dokolo têm como parceiros, o Governo da República de São Tomé e Príncipe, a Câmara Distrital de Água Grande, cidade de São Tomé, e a Embaixada da República de Angola, em São Tomé e Príncipe.

A pintura de René Tavares embora revele um interesse pelo quotidiano são-tomense, como a exposição “As Lavadeiras” com o artista plástico Olavo Amado no Café Companhia em São Tomé, em Setembro de 2010, demonstra um interesse pela história política e pelasraízes culturais de São Tomé e Príncipe, conforme podemos ler na sua síntese biográfica: “Ultimamente os seus trabalhos têm assumido uma componente política e cultural, através da qual o artista chama a atenção para a realidade quotidiana, sobretudo Africana e particularmente do seu país. Imparcialmente intervém no desenvolvimento da mentalidade sociopolítica, não por via de uma vontade de discurso político, mas porque a política se inscreve necessariamente no regime da realidade quotidiana”.

Filho de Fernanda da Cruz Silva e de José Luís Ferreira Tavares, René da Cruz Tavares nasceu em São Tomé e Príncipe no dia 4 de Novembro de1983. Formado na Escola de Belas Artes de Dakar, Senegal, René Tavares participou paralelamente em diversos workshops em São Tomé ePríncipe, ganhou em 2009 uma bolsa para desenvolver as suas pesquisas plásticas em Rennes, França, e vive actualmente entre São Tomé e Príncipe, Luanda e Lisboa.

Génese

Sobre a génese, africanidade e marcos temporais da sua pintura, René Tavares revelou o seguinte: “O tempo contemporâneo é objectivamente o que me preocupa, pois permite também reflectir sobre outros tempos da arte e da estética africana. A minha estética gravita num universo intemporal para que após incursões em tempos históricos específicos à arte africana se posicione como uma obra de todos os tempos.

Com esta dinâmica, pretendo participar na reconstituição da trajectória épica das civilizações africanas através da arte contemporânea em permanente diálogo com a arte antiga ou clássica africana, para que possamos criar uma cartografia cultural a propósito da presença dos africanos na história da humanidade.

A estrutura estética, cultural e política da pintura de René Tavares desenvolve uma plataforma que sustenta a criação de mecanismos para uma produção cultural suficientemente autónoma, considerando que é através da arte e da cultura que os sintomas de soberania cultural colectiva e individual melhor se expressam”.

Africanos

Segundo René Tavares, “a participação dos africanos foi no passado,  é no presente e será no futuro, parte integrante das alterações culturais e estéticas mundiais, naturalmente. Considero urgente a necessidade de revelar o pensamento e a historicidade da trajectória da estética africana. A minha pintura criou um diálogo e uma interacção entre estéticas de tempos distintos.Nesta perspectiva  optei  numa primeira abordagem pelo ritmo histórico e estético, em seguida deium novo olhar e elaborei um novo desenho inclusivo e abrangente,  desenvolvendo um segmento contemporâneo de um espólio suficientemente representativo da produção artística africana composto por artistas que estabelecem novos paradigmas na história da arte”.

Fonte: JA

Staline Satola

Trabalho com gestão de conteúdo desde 2012! Atualmente procurando aprender mas acerca de CMS (WP).

Related Articles

Close
Ir para a barra de ferramentas