África do Sul desiste de impedir divulgação de relatório sobre corrupção

África do Sul desiste de impedir divulgação de relatório sobre corrupção

2 Novembro, 2016 0 Por Staline Satola

O presidente sul-africano desistiu hoje de um recurso judicial para impedir a publicação de um relatório sobre corrupção em que se encontra alegadamente envolvido, anunciou o seu advogado perante um tribunal de Pretória.

“Tenho instruções para retirar o recurso”, afirmou Anthea Platt, advogado do Presidente sul-africano, Jacob Zuma, no início da audiência, no Tribunal Superior, em Pretória.

A estratégia judicial surpreendeu o tribunal, que se preparava para abordar as acusações sobre o envolvimento do chefe de Estado no alegado favorecimento, através de “influências políticas indevidas”, nos negócios da família Gupta.

De acordo com a acusação, Zuma terá supostamente autorizado os membros da família Gupta, com fortes interesses empresariais na África do Sul, a interferir na escolha de alguns membros do executivo de Pretória.

Os elementos da família Gupta, os irmãos Ajay, Atul e Rajesh, de origem indiana, construíram um império empresarial no setor mineiro, transportes, tecnologia e comunicação social, nos anos 1990, na África do Sul.

Um dos filhos do Presidente sul-africano, Duduzane Zuma, é um dos parceiros do grupo Gupta.

O relatório sobre as alegadas irregularidades ficou concluído no mês passado mas Zuma conseguiu bloquear a divulgação, inicialmente agendada para o dia 14 de outubro.

O chefe de Estado tem conseguido ultrapassar uma série de escândalos políticos mas, nesta altura, as críticas voltaram a intensificar-se, num contexto de crise económica e após o desaire eleitoral do Congresso Nacional Africano (ANC), partido no poder, nas últimas eleições locais.

Nos últimos meses, várias fações do ANC, antigos ativistas contra o ‘apartheid’ e empresários têm pedido o afastamento de Zuma antes do fim do mandato, que termina em 2019.