Mundo

Hillary Clinton desafia FBI a divulgar ligações de Trump à Rússia

A campanha da candidata do Partido Democrata às eleições dos Estados Unidos, Hillary Clinton, instou hoje o diretor do FBI a revelar os dados sobre as alegadas ligações do candidato republicano com o Governo da Rússia.

“É impossível ver isto como qualquer coisa menor que uma flagrante parcialidade de critérios”, comentou o diretor de campanha de Clinton, Robby Mook, numa conversa telefónica com jornalistas, na qual desafiou o diretor do FBI a explicar por que razão não quis aprofundar publicamente as investigações sobre as ligações de sócios de Donald Trump ao Governo russo.

O tema, já abordado num longo trabalho de investigação do Financial Times em outubro, voltou para as páginas dos jornais depois de na semana passada o diretor do FBI ter anunciado que estava a investigar milhares de emails encontrados no portátil do marido de uma antiga colaboradora de Clinton quando ela era secretária de Estado, entre 2009 e 2013.

“Foi o diretor [do FBI, James] Comey que abriu esta porta, foi ele que quebrou o protocolo quando divulgou informação sobre uma investigação antes de ela estar concluída”, argumentou o diretor de campanha de Clinton, fazendo eco dos muitos democratas que durante o dia de segunda-feira tentaram desviar o assunto da nova investigação à candidata democrata e centrá-lo nas ligações de Trump à Rússia.

Os comentário de Mook surgiram pouco tempo depois de uma notícia da CNBC informar que Comey não quis acusar publicamente a Rússia de intrometer-se nas eleições presidenciais norte-americanas dada a proximidade da votação, decidindo antes tornar público que estava a investigar novas provas sobre o ‘caso dos emails’ de Clinton, contextualiza a AFP.

Segundo o site politico.com, que cita uma notícia da CNBC, Comey escusou-se a assinar uma declaração pública feita pelos diretores dos departamentos de Inteligência Nacional e da Segurança Interna declarando que o governo russo estava por trás do roubo informático de emails do Comité Nacional Democrata e da campanha de Clinton, que foram depois divulgados pelo site Wikileaks.

De acordo com o site, Comey terá argumentado em privado que não queria acusar a Rússia por estar tão próximo das eleições.

O diretor do FBI “tem de explicar esta incongruência imediatamente e aplicar o mesmo critério aos associados de Donald Trum que aplica a Hillary Clinton”, vincou o diretor de campanha da candidata democrata.

Staline Satola

Estudante do curso de Informática e Telecomunicações, faculdade de Engenharia, Univerdade Óscar Ribas. Trabalho com gestão de conteúdo desde 2012! Atualmente procurando aprender mas acerca de CMS (WP).

Artigos relacionados

Close
Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Ir para a barra de ferramentas