Já imaginou uma China com restrições para fumantes?

Já imaginou uma China com restrições para fumantes?

23 Novembro, 2016 0 Por Staline Satola

A China, o maior produtor e consumidor mundial de cigarros, vai impor restrições ao consumo de tabaco a nível nacional, a partir do final deste ano, anunciaram hoje as autoridades.

Nação mais populosa do mundo, com cerca de 1.375 milhões de habitantes, a China é também o país com mais fumadores: 28% de todos os adultos ou metade dos adultos do sexo masculino.

A Organização Mundial do Comércio (OMC) estima que o tabaco cause a morte de um milhão de chineses todos os anos, com o fumo passivo a causar cerca de 100.000 mortos.

Em junho de 2015, o município de Pequim adotou a mais dura legislação no país, banindo o consumo em escritórios, restaurantes, hotéis e hospitais.

Os estabelecimentos que infringem a lei podem ser multados até 10.000 yuan (1.366 euros).

Na semana passada, Xangai, a “capital” económica do país, alterou também a sua regulamentação, passando a proibir o consumo em espaços fechados e em exteriores como paragens de autocarro, escolas e estádios.

Em conferência de imprensa, o porta-voz do ministério chinês da Saúde Mao Qunan revelou que aquelas medidas serão ampliadas a todo o país.

“As regulações a nível nacional para restringir o consumo do tabaco em público estão em processo legislativo e devem entrar em vigor no final do ano”, afirmou.

O reforço da aplicação da lei antitabagismo poderá revelar-se difícil na China, onde a indústria tabaqueira gerida pelo Estado garantiu, em 2015, lucros e impostos no valor de 1,1 bilião de yuan (150 mil milhões de euros).

As autoridades que regulam o consumo do tabaco no país partilham as instalações e alguns diretores com a estatal China National Tobacco Corp – de longe a maior produtora de cigarros do mundo.