Mundo

Obama pede "mais esforços" a Putin para acabar com a guerra na Síria

O Presidente norte-americano, Barack Obama, apelou hoje para que haja mais esforços para acabar com a violência na Síria, um país que tem sido devastado pela guerra, numa breve conversa com o Presidente russo, Vladimir Putin.

Obama esteve com o homólogo russo à margem da cimeira da Cooperação Económica Ásia-Pacífico (APEC), em Lima, no Peru, naquele que poderá ser o seu último encontro com Putin antes de deixar a presidência dos Estados Unidos, em janeiro.

Atualmente, há fortes bombardeamentos na cidade de Alepo, controlada pelos rebeldes.

“Sobre a Síria, o Presidente sublinhou a necessidade de o secretário [John] Kerry e o ministro dos Negócios Estrangeiros [Sergei] Lavrov continuarem as iniciativas, juntamente com uma comunidade internacional mais ampla, para diminuir a violência e aliviar o sofrimento do povo da Síria”, afirmou um oficial da Casa Branca.

As forças do Governo sírio lançaram na terça-feira uma ofensiva para recuperar o território rebelde de Alepo através de ataques aéreos, bombas e artilharia.

Moscovo, que começou uma intervenção militar de apoio ao Governo do Presidente Bashar al-Assad no ano passado, afirma que não está envolvido neste ataque de Alepo e que está a concentrar os seus esforços numa província próxima.

Alepo é disputada pelas forças de Damasco e pelos rebeldes desde meados de 2012, quando estes conquistaram amplas áreas da cidade, a segunda maior da Síria e uma das mais castigadas pelo conflito iniciado em março de 2011.

A situação é especialmente crítica nos bairros orientais, sitiados pelo regime desde julho último e onde, segundo a Organização das Nações Unidas, já não há alimentos para entregar aos civis necessitados.

Staline Satola

Estudante do curso de Informática e Telecomunicações, faculdade de Engenharia, Univerdade Óscar Ribas. Trabalho com gestão de conteúdo desde 2012! Atualmente procurando aprender mas acerca de CMS (WP).

Artigos relacionados

Close
Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Ir para a barra de ferramentas