Sinais de que os seus ossos estão com problemas

Sinais de que os seus ossos estão com problemas

25 Novembro, 2016 0 Por Staline Satola

A osteoporose até pode ser um problema dos ‘seniores’ mas os traumatismos e lesões nos ossos podem acontecer em qualquer idade.

Toda a gente deve tomar medidas no sentido de manter os ossos fortes e saudáveis, mas algumas pessoas devem estar especialmente atentas aos ossos. Se alguém da sua família muito próxima sofre ou sofreu de osteoporose considere-se extra vulnerável.

Outros sinais de alerta, como destaca a revista Prevention, não são tão óbvios, mas podem indicar que os seus ossos estão com problemas e que deve procurar acompanhamento médico. Conheça quatro:

1. Se as suas unhas lascam e partem muito facilmente

Se isso acontece mesmo muito frequentemente, pode indicar que os seus ossos estão quase tão frágeis.

Estudos preliminares sugerem que as pessoas que têm baixos níveis de colagénio (uma proteína de reforço) nas unhas também não têm o suficiente nos ossos.

Unhas fracas também podem sugerir que seu corpo não tem cálcio suficiente para fortalecer os ossos.

O que pode fazer

 Aumentar o consumo de alimentos ricos em cálcio, como leite, iogurte, queijo cottage, couve, brócolos e sardinhas.

Pode ainda falar com o seu médico para tomar um suplemento de cálcio, juntamente com vitamina D para ajudar a absorção.

2. As suas gengivas estão a ‘encolher’

O maxilar suporta e ancora os dentes e, como qualquer osso, é suscetível ao enfraquecimento.

À medida que o seu maxilar perde massa óssea, as gengivas podem começar a encolher ou ficar mais curtas.

A perda de dentes também pode indicar perda de massa óssea.

O que fazer

Informe o seu dentista caso tenha fatores de risco de osteoporose, como histórico familiar, tabagismo ou deficiência de cálcio, e faça raios X para ter a certeza de que está tudo bem ou identificar os problemas a tempo.

3. Tem dificuldade em apertar a mão

Estudos sugerem uma correlação entre a força do aperto de mão e a densidade óssea nos antebraços, coluna e quadril.

O que fazer

Nunca é tarde demais para construir músculos e melhorar o equilíbrio.

Experimente fazer musculação, yoga ou tai chi, o primeiro ajuda a fortalecer os músculos e os ossos e o segundo e o terceiro melhoram o equilíbrio, desenvolvendo a força corporal, flexibilidade, amplitude de movimento e reflexos.

4. O seu coração está acelerado

A sua frequência cardíaca de repouso refere-se ao número de vezes que seu coração bate por minuto, enquanto o seu corpo não está a fazer nada ativo.

Embora a frequência cardíaca média em repouso para a maioria das pessoas esteja entre 60 e 100 batimentos por minuto, estudos sugerem que ter uma pulsação de repouso acima dos 80 batimentos por minuto aumenta o risco de fraturas de quadril, pélvis e coluna vertebral.

O motivo?

A sua frequência cardíaca é um reflexo de seu nível de aptidão.

As frequências cardíacas em repouso tendem a ser mais elevadas em pessoas que são sedentárias, e a atividade física – especialmente o tipo de suporte de peso, como caminhar – é a chave para construir um quadro forte.

O que fazer

Comece por descobrir a sua frequência cardíaca de repouso.

De manhã, ainda na cama, coloque um ou dois dedos sobre um ponto de pulsação no seu pulso ou pescoço.

Conte o número de batidas que ocorrem em 15 segundos.

Multiplique esse número por quatro para obter a sua frequência cardíaca de repouso.