Mundo

Uganda fecha rede de escolas financiadas por Bill Gates e Zuckerberg

Um tribunal ugandês ordenou hoje o encerramento de uma rede norte-americana de escolas privadas de baixo custo na Uganda, financiadas pelo co-fundador da Microsoft Bill Gates e pelo fundador do Facebook, Mark Zuckerberg.

Segundo a juíza Patricia Basaza Wasswa, do Supremo Tribunal, as 63 escolas primárias da Bridge International Academies (BIA) não têm autorizações válidas, os professores não têm competências e as salas de aula estavam insalubres.

A empresa privada, que acolhe 12.000 estudantes naquele país, tem crescido consideravelmente desde o seu lançamento em 2008, oferecendo um ensino a baixo custo orientado para a tecnologia em países em desenvolvimento em África e na Ásia.

No modelo da rede escolar, os professores leem as lições a partir de um computador? tablet’, que também regista a assiduidade e as avaliações dos alunos.

O representante local da BIA, Godwin Matsiko, informou que a rede vai recorrer da decisão, mostrando-se “dececionado”.

James Black, um pai ugandês que escolheu a BIA para os seus seis filhos, mostrou-se contra a decisão e satisfeito com os 28 dólares que paga por período naquela escola, um terço do que costumava pagar.

James Black disse que visitou a cozinha e as instalações sanitárias e elas estavam aceitáveis, acrescentando que, como as escolas da BIA estão a expandir-se e muitos funcionários do ministério da Educação possuem escolas privadas, eles têm medo de vir a perder alunos e dinheiro.

Staline Satola

Estudante do curso de Informática e Telecomunicações, faculdade de Engenharia, Univerdade Óscar Ribas. Trabalho com gestão de conteúdo desde 2012! Atualmente procurando aprender mas acerca de CMS (WP).

Artigos relacionados

Close
Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Ir para a barra de ferramentas