Angola

Banco de Poupança e Crédito retorna a crédito

O presidente da Comissão Executiva do Banco de Poupança e Crédito (BPC), Zinho Baptista, anunciou a retomada da concessão de crédito no primeiro semestre do próximo ano, quando forem definidas as áreas prioritárias de actuação e de atendimento da procura.

A retomada da concessão de crédito no Banco de Poupança e Crédito (BPC) deve obedecer a critérios nacionais, os princípios da ordem jurídica internacional e as regras das instituições financeiras interessadas em investir em Angola, disse o presidente da Comissão Executiva da instituição.
“Os nossos clientes podem ficar descansados, porque haverá concessão de crédito no BPC”, assegurou o presidente da Comissão Executiva do BPC.
O processo de reestruturação do BPC ocorre de forma planificada, encontrando-se agora na fase intermédia. Sobre o financiamento concedido pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BDA), Zinho Baptista explicou que o acordo visa apoiar a diversificação da economia nacional, com prioridade para a agricultura, indústria e empreendedorismo feminino.
Por outro lado, o representante residente em Angola do BAD, Septime Martin, disse que, no quadro do relacionamento bilateral, a instituição financeira está a actualizar a sua estratégia para o período 2017/2021, baseada em dois pilares essenciais, como o crescimento inclusivo, através da transformação agrícola e o apoio ao desenvolvimento sustentável, e o financiamento das infra-estruturas económicas.
Está estratégia, prosseguiu, facilitará o financiamento ao sector agrícola de forma integrada, incluindo as respectivas infra-estruturas necessárias para o desenvolvimento sustentável e competitivo.
De acordo com Septime Martin, o BAD também tem o propósito de continuar a apoiar o sector energético, dando sequência ao projecto de reforma na área eléctrica, iniciado no ano de 2005.
O BAD disponibilizou 325 milhões de dólares ao BPC, para apoiar micro, pequenas e médias empresas.

Septime Martim disse que a linha de crédito deve servir como uma mola impulsionadora na aceleração da actividade económica das empresas e lembrou que as pequenas e médias empresas são cruciais no apoio à diversificação económica de Angola.
O representante disse que o financiamento do BAD serve para apoiar, maioritariamente, os projectos de impacto sócio-económico e de desenvolvimento sustentável.

Staline Satola

Estudante do curso de Informática e Telecomunicações, faculdade de Engenharia, Univerdade Óscar Ribas. Trabalho com gestão de conteúdo desde 2012! Atualmente procurando aprender mas acerca de CMS (WP).

Artigos relacionados

Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Ir para a barra de ferramentas