Campanha do Banco Alimentar em Luanda angaria mais de 5,5 toneladas

Campanha do Banco Alimentar em Luanda angaria mais de 5,5 toneladas

7 Dezembro, 2016 0 Por Staline Satola

O Banco Alimentar Angola angariou mais de 5,5 toneladas de alimentos na campanha realizada no último fim de semana em grandes superfícies de Luanda, uma quebra superior a 10 por cento face à anterior, em Junho.

Os números foram avançados hoje à Lusa por Henrique Nunes, fundador do Banco Alimentar Angola e coordenador desta quinta campanha de recolha de alimentos realizada por aquela instituição em 11 grandes superfícies comerciais do centro e arredores de Luanda.

No total, cerca de 60 voluntários angariam 5.533 quilogramas de alimentos, o que contrasta com as cerca de sete toneladas recolhidas na campanha que teve lugar a 18 e 19 de Junho, em dez superfícies comerciais também de Luanda, e que então tinha aumentado 16%, face à anterior.

“Esse valor é menor, pela quantidade que muitos sacos traziam, mas podia ter sido melhor. A maioria dos voluntários fez a campanha pela primeira vez, face à falta de pessoas”, explicou Henrique Nunes.

O responsável acrescentou que mais de 80% dos voluntários envolvidos na campanha de Junho não compareceram desta vez e não transmitiram a ausência previamente.

Por esse motivo, a angariação de voluntários é desde já uma prioridade do Banco Alimentar Angola para a próxima campanha, explicou Henrique Nunes.

A conjuntura económica angolana, devido à crise provocada pela quebra das receitas com a exportação de petróleo, já se reflectiu na recolha anterior, realizada no final de Novembro de 2015, que angariou então pouco mais de 5,1 toneladas de alimentos, menos 37% face a 2014, apesar da presença em mais superfícies.

Os alimentos recolhidos nesta quinta campanha vão ser distribuídos por instituições de solidariedade social identificadas pelo Banco Alimentar Angola, casos do Centro de Acolhimento de Crianças Arnaldo Jansson, Associação de Amizade e Solidariedade para com a Terceira Idade, Centro de Acolhimento de Meninas Horizonte Azul, Centro Nossa Senhora da Boa Nova, Centro Social Santa Bárbara, Obra Dom Bosco e Obra Divina Providência.

Fonte: Lusa