Pesquisa de combate às doenças foi prioridade da Ciência e Tecnologia em 2016

Pesquisa de combate às doenças foi prioridade da Ciência e Tecnologia em 2016

10 Dezembro, 2016 0 Por Staline Satola

A ministra da Ciência e Tecnologia, Maria Cândida Teixeira, afirmou nesta sexta-feira, em Luanda, que o seu pelouro esteve focado, no exercício de 2016, em estudos científicos com vista a combater às doenças de sono no país.

Ao discursar na cerimónia de cumprimentos de fim-de-ano, a governante disse estar em curso projectos de investigação sobre a trypanossomiase e esquistossomose, que visam recolher dados sobre o tratamento tradicional para conter a doença.

Acrescentou que no domínio da investigação, os projectos de cooperação bilateral co-financiados pela África do Sul também foram auditados para verificar o grau de cumprimento dos resultados assumidos.

Segundo a ministra, a cooperação sob os auspícios da Alemanha no âmbito do Centro da África Austral para Ciências e Serviços para Adaptação às Alterações Climáticas e Uso Sustentável dos Solos (SASSCAL) conheceu um certo abrandamento.

A referida cooperação inclui 13 projectos que contam com a participação de Angola, África do sul, Botswana, Namíbia e Zâmbia.

Já no Plano Anual de Ciência, Tecnologia e Inovação (PLANCTI), a ministra enfatizou que o mesmo aguarda por melhores condições financeiras, a par do Programa Nacional de Formação Doutoral em colaboração com a Unesco, que visa suprir a carência de investigadores científicos.

Notou que, apesar da permanência dos efeitos da crise financeira, o Departamento ministerial envidou esforços no sentido de materializar diversas actualidades, nomeadamente a primeira Conferência Internacional de Ciência e Tecnologia de Cuba e Conferência da Unesco que decorreu na Etiópia.

Destacou ainda a participação de quadros do sector em conferências e seminários no exterior do país, na sua maioria com custos assumidos pelos seus organizadores.

A par disso, salientou ainda as várias acções formativas no decurso de 2016, com realce para a biossegurança, elaboração de projectos e redacção de textos científicos, primeiros socorros, classificação e avaliação de investigadores e técnicos de apoio à investigação, entre outros.

Desacatou igualmente as antecâmaras da Feira do inventor/criador angolano em todas províncias do país com objectivo de identificar novos talentos, participação da Angola na Feira Internacional de Ideias e Novos Produtos (IENA), em Nuremberga – Alemanha, onde na edição 2016 foram conquistadas 11 medalhas, das quais quatro de ouro, duas de prata e cinco de bronze.

 

 

Fonte: TPAOnline