Mundo

ONU e EUA: Guterres e Trump já falaram ao telefone. Discussão foi "positiva"

O Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, conversou hoje por telefone com António Guterres, novo secretário-geral da ONU, numa “discussão muito positiva” sobre as relações do país com a organização, referiram fontes oficiais.

O contacto telefónico ocorreu após as diversas e duras críticas emitidas por Trump na sequência da resolução sobre colonatos israelitas em territórios palestinianos ocupados, aprovada pelo Conselho de Segurança da ONU com a decisiva abstenção dos EUA.

Na conferência de imprensa diária, um porta-voz do secretário-geral da ONU indicou que o contacto telefónico “de apresentação” permitiu a Trump e Guterres manterem uma “discussão muito positiva” sobre as relações entre as Nações Unidas e os Estados Unidos.

“O secretário-geral disse que espera estabelecer outra conversa com o Presidente” logo que assuma o cargo, acrescentou o porta-voz, Farhan Haq.

A conversa também foi confirmada por fontes da equipa de Trump, que confirmaram estarem previstos novos contactos quando o magnata nova-iorquino ocupar a Casa Branca em 20 de janeiro.

No decurso de uma conversa telefónica com jornalistas, Sean Spicer, o porta-voz de Trump, disse por sua vez que os Estados Unidos pretendem uma “reforma” nas Nações Unidas para que a organização seja “mais eficiente”, precisou a agência noticiosa Efe.

Em 28 de dezembro Trump afirmou na Flórida, onde passou o Natal, que a ONU “não está à altura” do seu potencial e que “provoca problemas em vez de os resolver”.

“Quando se viram as Nações Unidas a resolver problemas? Não o faz, causa problemas”, afirmou o Presidente eleito.

Dias antes, Trump tinha já considerado na sua conta oficial na rede social Twitter que apesar do seu “grande potencial” a ONU se tornou “apenas um clube para as pessoas se juntarem, conversarem e passarem um bom bocado”. “Tão triste!”, acrescentou.

Estas críticas surgiram após a aprovação pelo Conselho de Segurança, em 23 de dezembro, de uma resolução que condena a contínua construção por Israel de colonatos em territórios palestinianos.

Trump manifestou uma lealdade total com Israel e antes da reunião do Conselho de Segurança tinha pedido que os Estados Unidos exercessem o seu direito de veto para evitar a aprovação da resolução.

Os EUA são o país que fornece mais fundos para o funcionamento das Nações Unidas, para além acolher a principal sede da organização, em Nova Iorque.

Staline Satola

Estudante do curso de Informática e Telecomunicações, faculdade de Engenharia, Univerdade Óscar Ribas. Trabalho com gestão de conteúdo desde 2012! Atualmente procurando aprender mas acerca de CMS (WP).

Artigos relacionados

Close
Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Ir para a barra de ferramentas