Mundo

Argentina diz que ameaças de greve estão ligadas a eleições

BUENOS AIRES (Reuters) – Sindicatos argentinos parecem querer pressionar o governo ao realizarem passeatas e ameaçarem greves antes das eleições parlamentares de outubro no país, disse o ministro do Interior, Rogelio Frigerio, nesta segunda-feira.

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, assumiu o poder há 15 meses prometendo reconquistar a confiança dos investidores e estimular a economia, depois de uma década de populismo e gastos. Até a semana passada, os sindicatos sinalizavam paciência em relação ao programa para cortar custos trabalhistas, taxas de juros e déficit fiscal.

Milhares de trabalhadores realizaram um piquete em 7 de março para protestar contra cortes de empregos e salários que não acompanham a inflação, que ficou em cerca de 40 por cento em 2016. Importantes sindicatos ameaçam com greve.

“É possível suspeitar que isso é ligado ao fato de que este é um ano eleitoral”, disse Frigerio aos jornalistas. Temas trabalhistas serão resolvidos com negociações, e não com greves, segundo ele.

“Nós tivemos um primeiro ano muito duro na elaboração das políticas e sentimos que tivemos o apoio das grandes organizações sindicais”, acrescentou. “Você tem que se perguntar por que eles estavam conosco durante os meses mais duros e agora eles estão ameaçando com greves e passeatas.”

 

Tags

Staline Satola

Estudante do curso de Informática e Telecomunicações, faculdade de Engenharia, Univerdade Óscar Ribas. Trabalho com gestão de conteúdo desde 2012! Atualmente procurando aprender mas acerca de CMS (WP).

Artigos relacionados

Close
Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Ir para a barra de ferramentas