Mundo

As respostas de Obama e Schwarzenegger a Trump

Schwarzenegger responde à resposta de Trump

Depois de o presidente Donald Trump ter afirmado, na sua conta de Twitter, que o ator de Exterminador Implacável não tinha saído voluntariamente do programa Celebrity Aprentice mas que em vez disso tinha sido “despedido” pelas más audiências, Schwarzenegger resolveu ripostar, dando um conselho a Trump: “Devia pensar em contratar um novo autor de piadas e um verificador de factos”, escreveu:

Arnold Schwarzenneger foi apresentador do programa Apprentice, da NBC, por uma única temporada, depois de Trump ter sido a cara do programa durante 14 anos. Donald Trump manteve-se como produtor executivo, apesar de ser candidato à presidência e depois Presidente dos EUA, o que gerou alguma controvérsia.

Desde o início da temporada que Shwarzenegger e Trump trocavam comentários nas redes sociais, sobretudo devido às fracas audiências do programa e ao facto do ator ser um apoiante de Hillary Clinton. Agora, quando anunciou que não voltaria para uma segunda temporada, Shwarzenegger explicou: “Com Trump envolvido, as pessoas não querem participar ou apoiar, nem como espetadores, nem como patrocinadores, nem de qualquer outra forma”. E era claro que Trump não iria ficar calado perante as acusações.

Na terça-feira passada, quando falou ao Congresso, o presidente americano garantiu que “O tempo para as lutas triviais ficou para trás”. Mas, aparentemente, não vai conseguir manter a sua promessa.

Obama nega acusações de Trump sobre escutas

As declarações do presidente norte-americano, Donald Trump, que acusavam o seu antecessor de ter colocado escutas na Torre Trump, antes das presidenciais de novembro, foram negadas por Obama.

“Nem o presidente Obama nem qualquer outro oficial da Casa Branca ordenou a vigilância de qualquer cidadão norte-americano”, escreveu o porta-voz do ex-presidente dos Estados Unidos.

Em comunicado, Kevin Lewis defendeu que nem Obama nem os seus homens “alguma vez interferiram com investigações independentes levadas a cabo pelo Departamento de Justiça”, deixando no ar a possibilidade de que estivesse a ocorrer, na altura, uma investigação judicial.

“Alguma sugestão de que isso poderá ter acontecido é simplesmente falsa”, acrescentou.

As declarações do porta-voz de Barack Obama surgem horas depois de Donald Trump ter escrito na rede social Twitter uma série de mensagens que acusavam Obama de ter colocado escutas aos seus telefones na Torre Trump, em outubro do ano passado, antes das eleições.

“Quão baixo foi o presidente Obama para pôr escutas os meus telefones durante o processo eleitoral. Isto é Nixon/Watergate. Mau (ou doente) tipo”, escreveu, num dos “tweets”, sem explicar a razão faz das acusações.

Tags

Staline Satola

Estudante do curso de Informática e Telecomunicações, faculdade de Engenharia, Univerdade Óscar Ribas. Trabalho com gestão de conteúdo desde 2012! Atualmente procurando aprender mas acerca de CMS (WP).

Artigos relacionados

Close
Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Ir para a barra de ferramentas