Capacidade térmica será mobilizada para mitigar restrições no fornecimento de energia

Capacidade térmica será mobilizada para mitigar restrições no fornecimento de energia

13 Março, 2017 0 Por Staline Satola

O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, disse neste sábado, que caso persista a estiagem que se verifica no país, o sector vai pôr disponível toda capacidade térmica em Luanda e acelerar a entrada em funcionamento da central do ciclo combinado do Soyo, para compensar a redução da produção de energia que se regista na barragem de Cambambe.

Esta redução resulta do enchimento da albufeira de Laúca e da pouca afluência de água em Capanda, devido ao baixo nível de pluviosidade.

Com o baixo nível de pluviosidade e do início do enchimento da albufeira, Cambambe reduziu a sua capacidade de produção na ordem de um terço, situação que está a obrigar a fazer muitas restrições no fornecimento de energia à cidade de Luanda, principal centro consumidor da energia produzida em Cambambe, explicou.

A albufeira de Laúca começou a ser enchida hoje, numa cerimónia orientada pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos.

As obras da barragem de Laúca iniciaram em 2012. Actualmente as obras civis estão executadas na ordem de 87, a electromecânica a 72 porcento, enquanto a de transporte de energia está na casa de 14 porcento.

Terá uma altura de 156 metros, 188 quilómetros quadrados, mil e 200 metros de comprimentos.