Bem-estarDicas!

O hormónio do amor cinco benefícios que vão te supreender

 O hormónio do amor cinco coisas sobre ele que vai te impressionar.

Já ouviu falar do “hormónio do amor”? Trata-se de oxitocina , uma substância produzida pelo corpo humano quando há algum tipo de intimidade física. Ou seja, quando estamos abraçando alguém ou até amamentando, lá está ela, a oxitocina.

A substância quase mágica faz super bem para o nosso corpo e além de trazer esta sensação boa de afecto pode nos transmitir uma série de outras sensações.

Veja a seguir o que o “hormônio do amor” pode fazer no nosso corpo e surpreenda-se:

1- Estimula a generosidade

Segundo um estudo de ‘neuro economia’ (estudo do cérebro enquanto as pessoas tomam decisões económicas) afirmou que quem têm mais oxitocina no corpo tende a compartilhar mais dinheiro. Isso explica porque muitos casais dividem as contas – ou se endividam – mesmo não tendo condições para tal. O hormónio do amor é a base de tudo e todas manifestações.

2- Inibe o medo

Uma pesquisa recente descobriu que a oxitocina é capaz de inibir as regiões cerebrais relacionadas ao medo. Dá para acreditar?

3- Auxilia na digestão

A substância desempenha um papel importante na digestão de alimentos. De acordo com estudos científicos, a ausência de níveis adequados de oxitocina afecta todo o processo digestivo, deixando-o mais lento.

4- Faz bem para o coração

A substância ajuda a proteger o sistema cardiovascular. Ela dilata os vasos sanguíneos, diminuindo assim a pressão arterial, além de  ajudar a combater os radicais livres.

5- Ajuda a curar doenças de envelhecimento

Um estudo feito com camundongos revelou que, à medida que esses animais envelhecem, os níveis de oxitocina diminuem. Cientistas injectaram o hormônio nos bichinhos com lesões musculares e eles se recuperaram muito mais rápido do que aqueles que não haviam recebido a substância.

Com relação a humanos, não se sabe ao certo quando a substância passa a ser produzida em menores quantidades, mas a esperança é a de que futuramente o hormônio possa fazer parte de tratamentos para lesões causadas pelo envelhecimento. Muito bom isso. O que achas?

Staline Satola

Estudante do curso de Informática e Telecomunicações, faculdade de Engenharia, Univerdade Óscar Ribas. Trabalho com gestão de conteúdo desde 2012! Atualmente procurando aprender mas acerca de CMS (WP).

Artigos relacionados

Close
Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Ir para a barra de ferramentas