Angola

Missões da Fitch e Moodys avaliam risco soberano de Angola

Missões das agências internacionais de notação de risco soberano, a Moody’s e a Fitch encontram-se, em Luanda, no quadro das avaliações permanentes dos programas de governação económica e do ambiente de atracção de investimento para o país.

As duas missões, de acordo com um documento do Ministério das Finanças a que a Angop teve acesso, vão efectuar visitas de trabalho, separadamente, de 9 a 16 do corrente mês.

Na agenda das duas missões, entre outros pontos, prevê a discussão com as autoridades angolanas de temas ligados aos desenvolvimentos recentes dos principais indicadores macroeconómicos.

A Fitch e a Moody’s, pretendem avaliar a performance do sector petrolífero, o perfil de produção, novas descobertas, venda em leilão de blocos e níveis de reservas, o estado actual da banca comercial, a política monetária e os seus resultados.

A balança de pagamentos, desenvolvimento do sistema financeiro, regime de câmbio no sector do petróleo e reservas internacionais são entre outros assuntos na agenda das duas missões.

As delegações das duas agências de rating vão igualmente, a analisar com a equipa económica do Executivo, o financiamento e gestão da dívida pública, a carteira de empréstimos e o processo de regularização de atrasados internos.

O processo de reforma fiscal e o programa de potenciação da receita tributária para 2017, outros assunto que será abordado durante a missão.

As agências de rating irão, de igual modo, avaliar os objectivos do Orçamento Geral do Estado (OGE) e os condutores de rating que afectam a classificação soberana do Estado angolano.

Cada uma das missões manterá encontros com responsáveis dos ministérios das Finanças, da Economia, Planeamento e Desenvolvimento Territorial, Comércio, Petróleos e Banco Nacional de Angola.

Pretendem também manter encontros com altos responsáveis da Sonangol, do Fundo Soberano de Angola, a Agência Promotora para o Investimento para Exportação (APIEX), representantes da petrolífera Total-Angola, delegação do Fundo Monetário Internacional e a Embaixada dos Estados Unidos da América em Angola.

Em finais de 2016, a Fitch desceu o rating da dívida soberana de Angola para o nível ‘B’, mantendo-se abaixo da escala de investimento, com perspectivas de evolução ‘negativa’.

O rating é um instrumento relevante para os investidores, uma vez que fornece uma opinião independente a respeito do risco de crédito da dívida de um determinado país.

Tags

Staline Satola

Estudante do curso de Informática e Telecomunicações, faculdade de Engenharia, Univerdade Óscar Ribas. Trabalho com gestão de conteúdo desde 2012! Atualmente procurando aprender mas acerca de CMS (WP).

Artigos relacionados

Close
Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Ir para a barra de ferramentas