DesportoMundo

Mourinho manda recado aos adeptos do Chelsea: "O Judas é o número 1"

Treinador do Manchester United foi insultado por alguns adeptos no regresso a Stamford Bridge.

O regresso de José Mourinho a Stamford Bridge, na segunda-feira, foi tudo menos amigável. Durante o confronto entre Chelsea e Manchester Untied, e já depois de se ter desentendido com Antonio Conte, o técnico português foi insultado pelos adeptos blues.

Se na altura Mourinho optou por levantar três dedos, em alusão ao número de campeonatos que ganhou na frente dos azuis de Londres, a resposta mais formal ficou para o pós-jogo, onde o técnico português recordou que continua a ser “o número 1” em Stamford Bridge.

“Os adeptos podem chamar-me o que quiserem. Sou profissional e defendo o meu clube. Até ao momento, tiveram um treinador que conquistou três Premier Leagues para eles, portanto sou o número 1. Quando tiverem alguém que consiga conquistar quatro, então aí serei o número 2. Mas por agora, o ‘Judas’ continua a ser o número 1″, disparou o técnico português, citado pelo The Guardian, depois de ver o Manchester United perder (1-0) e ser eliminado da Taça de Inglaterra.

Apesar da eliminação, Mourinho garante que o mais importante passa por fazer uma boa campanha na Liga Europa de forma a garantir o acesso à Liga dos Campeões da próxima temporada.

“A única coisa que falamos foi que nós estamos na Europa e o nosso adversário não. Se eles tivessem ganho a Liga dos Campeões o ano passado, por esta altura estariam na Liga Europa. Não é culpa minha. É culpa de quem ficou aqui [no Chelsea] e que não conseguiu ganhar a Liga dos Campeões”, explicou, antes de deixar uma farpa ao árbitro da partida.

Questionado sobre a expulsão de Herrera ainda na primeira parte, por acumulação de amarelos, Mourinho colocou em causa a dualidade de critérios de Michael Oliver.

“Estou muito orgulhoso dos meus jogadores. O senhor Oliver irá analisar o seu próprio trabalho porque nós não o faremos. Basta comparar o segundo amarelo dado ao Herrera com uma falta sofrida, pouco depois, pelo Rashford quando este ia para o ataque e o capitão do Chelsea [Gary Cahill] travou-o num contra-ataque. O senhor Oliver nem sequer lhe deu um cartão, nem um amarelo”, finalizou.

Tags

Staline Satola

Estudante do curso de Informática e Telecomunicações, faculdade de Engenharia, Univerdade Óscar Ribas. Trabalho com gestão de conteúdo desde 2012! Atualmente procurando aprender mas acerca de CMS (WP).

Artigos relacionados

Close
Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Ir para a barra de ferramentas