PR recebe mensagem do homólogo da RCA

PR recebe mensagem do homólogo da RCA

7 Março, 2017 0 Por Staline Satola

O Presidente da República, José Eduardo dos Santos, recebeu nesta segunda-feira, no Palácio Presidencial, em Luanda, uma mensagem do seu homólogo da República Centro-Africana (RCA), Faustin-Archange Touadéra.

Foi portador da missiva o ministro dos Negócios Estrangeiros daquele país africano, Charle Armel Dubani.

Charle Armel Dubani, que está em Angola na qualidade de enviado especial do Presidente da República Centro-Africana, disse à imprensa, no final da audiência, que abordou com o Chefe de Estado angolano o estado da cooperação bilateral.

Quanto a actual situação de estabilidade política na RCA, explicou que têm sido registadas “certas melhorias”, do ponto de vista de segurança interna, apesar de se registarem “algumas escaramuças isoladas” que perturbam a paz.

Disse que o governo do seu país tem trabalhado com a comunidade internacional para o restabelecimento total da paz e segurança, com vista o desenvolvimento global.

No quadro da cooperação, Angola e a RCA têm acordos rubricados em termos gerais no domínio político e diplomático, e existem interesses nas áreas dos diamantes, da diplomacia, a nível da defesa e segurança.

Com vista a reforçar a cooperação, o Presidente da RCA, Faustin Archange Touadéra, efectuou em Janeiro último uma visita de trabalho de algumas horas a Angola.

Angola e a RCA são países membros da Conferência Internacional para a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), à semelhança do Burundi, Congo, RD Congo, Quénia, Uganda, Ruanda, Sudão, Sudão do Sul, Tanzânia e Zâmbia.

A República Centro-Africana é um país cuja situação política preocupa a Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos (CIRGL), organismo regional de que o estadista angolano é presidente em exercício.

José Eduardo dos Santos tem prestado ajuda para que este país membro da CIRGL, que viveu há algum tempo um conflito interno inter-religioso, ponha fim às divergências, quer do ponto de vista político, quer religioso, de forma pacífica, através do diálogo.