Angola

Dinamarqueses querem produzir fertilizantes em Angola

A companhia dinamarquesa Haldor Topsoe, líder mundial em catalisadores e ciência de superfícies, pretende investir em Angola dois mil milhões de dólares numa fábrica de fertilizantes, capaz de produzir dois milhões de toneladas por ano, para abastecer o país e a região austral.

O presidente da companhia, Bjerne S. Clausen, foi recebido ontem pelo Chefe de Estado angolano, João Lourenço. A Haldor Topsoe pretende aproveitar o gás natural como matéria-prima e proporcionar mais de quatro mil empregos directos.

Em 2016, Angola importou cerca de 112 mil toneladas de fertilizantes, que custou aos cofres do Estado aproximadamente 103 milhões de dólares, de acordo com dados da Unidade Técnica para o Apoio ao Investimento Público (UTAIP).

Na presente campanha agrícola, o Governo gastou pelo menos 85 milhões para adquirir 150 mil toneladas.

No mês passado, as empresas russas “Uralkali” (líder mundial da indústria de cloreto de potássio) e a “Uralchem”, segundo maior produtor mundial de amónio, manifestaram igualmente disponibilidade em fornecer fertilizantes, indispensáveis à produção agrícola.

Tags

Staline Satola

Estudante do curso de Informática e Telecomunicações, faculdade de Engenharia, Univerdade Óscar Ribas. Trabalho com gestão de conteúdo desde 2012! Atualmente procurando aprender mas acerca de CMS (WP).

Artigos relacionados

Close
Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Ir para a barra de ferramentas