ÁfricaMundo

Espanha: Vistos para Angola levam muito tempo

O novo embaixador de Espanha em Angola quer aproveitar, ao máximo, a parceria estratégica estabelecida entre os dois países. Acreditado a 1 de Novembro último, Manuel Hernández Ruigómez promete ser o intermediário entre as autoridades, instituições e empresas dos dois países e ajudar a tirar as maiores vantagens dos mais de 40 anos de relações diplomáticas.

Quarenta anos depois, que balanço faz das relações entre Angola e Espanha?

As relações são muito boas e têm sido boas ao longo destes 40 anos. Reconhecemos a independência de Angola em 1977 e abrimos a Embaixada em 1979. Desde então, temos cá um embaixador residente. Temos uma relação muito forte, com cidadãos que têm vindo e angolanos que se deslocam com regularidade a Espanha. As nossas relações são intensas do ponto de vista da cooperação técnica e das empresas, na economia ou no comércio bilateral. A Espanha tem sido, ao longo destes anos, compradora do petróleo angolano e Angola tem comprado muitos produtos espanhóis, desde equipamentos a produtos alimentares. Em 1980, abrimos um escritório comercial na Embaixada, para facilitar a relação comercial.

Em que áreas as relações devem ser melhoradas?

Em muitas áreas. As novas autoridades angolanas definiram a Espanha como um parceiro prioritário na Europa e, neste sentido, pode ajudar em muitos aspectos da realidade actual de Angola, como no desenvolvimento do turismo ou da agricultura, por exemplo. A Espanha é a primeira potência agrícola da Europa e a segunda mundial, em matérias de turismo, para citarmos só estes dois campos. Então, temos muitas possibilidades de ajudar.

No turismo, o que é que a Espanha pode oferecer?

Podemos formar quadros angolanos, desde os funcionários de base até mesmo os gestores. Somos uma potência mundial e temos muita experiência para transmitir neste campo. Mas, antes, Angola deve, igualmente, fazer os deveres de casa. Por exemplo, modificar a política de vistos. Viajar para Angola tem sido muito complicado. Se Angola quer ser um país atractivo, do ponto de vista do turismo, deve mudar completamente esta política de vistos. Não se pode desenvolver o turismo com a actual política de vistos, que é um autêntico calvário.

Que dificuldades os espanhóis encontram para viajar para Angola?

Temos constantemente queixas. O próprio Presidente João Lourenço, na entrevista que concedeu à Agência espanhola EFE, uma das coisas que mencionou foi a reforma total da política de vistos em Angola. Anunciou, quando já era Presidente eleito, que seria um dos focos do seu Governo. Saudamos esta visão, porque vai ser muito bom para Angola. Turismo e facilidade de vistos são coisas que devem estar ligadas. Hoje, para vir a Angola, a partir de Espanha, leva um mês ou mês e meio. A vantagem dos espanhóis é que temos um consulado maravilhoso em Madrid, que facilita tudo o que é possível. Agora, os viajantes são mais empresários, mas amanhã podem ser turistas, por causa das belezas e potencialidades de Angola. É só reparar no que estão a fazer a Namíbia e a África do Sul, que suprimiram os vistos aos cidadãos europeus, porque eles podem gastar aqui o seu dinheiro, como turistas. Devemos ter este pensamento.

 

Leia +

Tags

Staline Satola

Estudante do curso de Informática e Telecomunicações, faculdade de Engenharia, Univerdade Óscar Ribas. Trabalho com gestão de conteúdo desde 2012! Atualmente procurando aprender mas acerca de CMS (WP).

Artigos relacionados

Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios
Ir para a barra de ferramentas